A Primeira Revisão da Brompton Alvinegra

Bem, depois de 1 ano de Brompton, fazendo eu mesmo a  manutenção, resolvi que ela merecia um toque profissional. A corrente já estava bem suja, mesmo depois de uma limpeza total que eu havia feito, sentia que a bike estava já um tanto quanto desregulada, apesar de estar funcionando 100%.

Deixei ela Sábado na Special Adventure, loja recomendada por 10 entre 8 ciclistas que eu conheço, e eles me entregarão nesta Quinta-feira.

Com a volta da bichinha farei minha avaliação do serviço e informarei o preço final.

 

 

Saudades da dita cuja…

12 thoughts on “A Primeira Revisão da Brompton Alvinegra

  1. Primeiro de tudo, parabéns pela Brompton, uma obra de arte!
    Sou apaixonado pela magrelinha, engraçado que conheci ela da mesma forma que você, pela loja NYCEwheels! Descobri hoje o seu blog e fiquei surpreso como as histórias convergem!
    Coincidentemente, também moro no Rio, mas a pouco tempo, ainda não me aventurei em duas rodas por aqui. Em Salvador, onde eu morava, a minha (coroa – 20 anos de serviço, já na 2ª geração da família) Bianchi é uma companheira fiél, nunca andei numa bike melhor!
    Mas como tem sido andar com ela? Os buracos enchem muito o saco das rodas? E, mais importante: o assalto a bicicletas aqui no Rio tem me preocupado bastante, como você percebe isso?
    Ah, você teve muita diferença de preço em Portugal comparado aos EUA? Estive em Londres esse ano e fiquei abismado com o preço, 1000 libras! Achei que na fonte seria mais palatável.
    Estou louco para ir a NY e voltar com uma debaixo do braço, mas realmente receoso com a possibilidade de perdê-la!

    Saudações e sucesso com a Brompton!

    • Obrigado pelos elogios Gabriel! O blog anda meio parado, mas a minha Alvinegra e eu não. :)

      A Brompton é muito versátil, tem segurado muito a onda aqui no Rio com pouca ou quase nenhuma manutenção. Ando mais por ciclovias do que por ruas, e quando ando nas ruas tenho que tomar cuidado com os bueiros, pois o pneu fino pode entrar facilmente. Também fico de olho na hora de subir os meio-fios, geralmente subo onde são mais baixos ou onde existem rampas pra carros.

      Quanto aos assaltos, graças a Deus ainda não fui vítima. Moro aqui desde que nasci, então tenho um pouco de noção de quando e onde posso passar. Infelizmente existem áreas aqui, como o túnel Novo, que liga a Rua Princesa Isabel em Copa a Botafogo, ali perto do Rio Sul, que não se deve passar sozinho. O Aterro do Flamengo de noite ou dias de semana também possui inúmeros casos de assalto. Geralmente o que faço é andar onde sei que existe um bom fluxo de pessoas em vias principais. Também não deixo a bike presa em lugar algum. Se vou ao restaurante, ao mercado ou em qquer lugar, dobro e puxo ela por aí. Pra mim, um dos grandes benefícios dela é esse.

      Quanto ao preço, na hora de comprar, fiz uma planilha e entrei em contato com TODOS os revendedores dos EUA e Portugal. Como eu tinha um prazo pra viajar e havia pedido uma bike especifica pra mim (modelo, acessorios, cor e etc…) acabei escolhendo o lugar que receberia a bike em menos tempo e também a mais barata. San Francisco e o Porto foram as revendedoras que me deram os melhores preços. Optei pelo Porto pois tinha onde ficar, então economizaria na hospedagem.

      Espero poder no futuro cruzar com vc pelas ciclovias do Rio com sua Brompton!

      Abraços!

      • Caro JPLages, o Lages em seu nick tem relação com a cidade Catarinense ?

        Sabe se tem algum grupo/tribo de Brompton Users no Rio?

        • Não tem nada a ver com a cidade catarinense :)

          Não conheço tribo de Brompton no Rio, mas existe um grupo Brompton Brasil no Facebook e lá existem usuários do Rio.

      • Show! Salvador é o mesmo caso, você tem que conhecer bem os lugares e horários por onde vai… Só com o tempo a gente vai descobrindo.
        Estou esperando as férias pra tomar a decisão da compra. Ironicamente, os britânicos não tem um bom preço pra ela hehe. Só em uma viagem ao tio sam ou à terrinha mesmo!
        Por enquanto estou usando uma Durban 20”, mas mesmo dobrada ainda acho ela muito trambolhuda.

        Obrigado pelas respostas, Lages! Espero encontrar você e a Alvinegra por aí sim! Um forte abraço!

    • Oi Serpico. Olha, pra mim saiu bem mais em conta pois eu tinha onde ficar em Portugal sem pagar hospedagem. Mas acredito que, mesmo sem isso, vale mais a pena comprar em Portugal visto que em Londres a moeda é a Libra e a cotação é aproximadamente 1 Libra = 1.25 Euros, ou seja, ao invés de pagar 800 euros na bike, você vai pagar 800 libras e vai sair bem mais caro. Sem contar que o preço das passagens, hospedagens e gastos do dia-a-dia vão ser todos em libras também e isso faz muita diferença.

      Quando eu estava procurando onde era mais barato para comprar, Portugal e EUA foram os lugares mais em conta na época. Acabei escolhendo Portugal pela facilidade de não pagar hotel e também pelo fato de que eles eram quem entregavam a bike exatamente na configuração que eu queria mais rapidamente.

      Espero ter ajudado!

  2. Olar!
    Como foi a manutenção? Tenho uma Brompton que já deve ter rodado uns 4 mil km (comprei em Portugal tb, em 2012) e ate hj só eu que fiz manutenção. Mas agora a pastilha de freio tá acabando e não sei se dou conta de trocar.

  3. Cara, parabéns pelo blog, li todas as postagens do começo ao fim. Digamos que estou começando um namoro com a Brompton, projetando a compra para 2017. Tal como você, tenho a facilidade de ir a Portugal com lugar pra ficar, ajuda para comprá-la lá.
    Me ajuda com uma dúvida, por favor? A qual taxação você foi submetido na chegada ao Brasil? Teve que pagar 50% em cima do valor de nota da magrela, ou foi outra conta? Ou nem chegou a pagar? Essas coisas influenciam o planejamento financeiro para a aquisição desta pequena maravilha.
    Um abraço! Volte a postar!

    • Olá. Então cheguei com ela numa mala e não fui parado na alfândega, então não paguei nada. A única coisa que eu paguei foi uma taxa da TAP de bicicletas. Só isso.

Comments are closed.